#comentando - Um bom ano

Além das resenhas cinematográficas, pretendo postar também um comentário de forma resumida e direta abordando - segundo a minha opinião - os pontos positivos e negativos de determinado filme. Uma maneira de manter o blog atualizado com mais frequência, sem deixar de falar sobre certos filmes por falta de tempo, e também, postar sobre mais títulos sem as formalidades de uma resenha. Espero que gostem!


A good year
Direção: Ridley Scott
Reino Unido, 2006
★ ★ ★ ★ 

Despretensioso. Leve. Delicioso. Um homem tipicamente sínico e capitalista, redescobrindo os valores de sua vida em uma terra, mesmo que seca para as plantações, recheada de emoções e lembranças que, aos poucos, trazem um sentimento de conforto e plenitude ao protagonista. Sempre com toques de humor e deixando dramas desnecessários de lado. Ainda que, em alguns momentos as situações e problemas nos quais o protagonista se envolve sejam clichês, somos, mais adiante arrebatados pela história que entretêm e diverte. História indubitavelmente arcadista: o bucolismo na declaração de amor do diretor aos vinhedos franceses, a idealização da mulher amada na exótica personagem de Marion Cotillard e a crítica à sociedade urbana presente no próprio protagonista. Mesmo que não seja um trabalho deslumbrante é arrebatador.
Em sua infância, Max Skinner (Russell Crowe), um empresário britânico bem sucedido e insensível, passava suas férias nos vinhedos de seu tio Henry (Albert Finney) no sudoeste da França. Ao ser informado da morte de seu tio e que era ele o único herdeiro das terras francesas, Max toma imediatamente a decisão de vender a propriedade e parte para a França para acertar os detalhes da venda. Lá, passa a conviver com os empregados e amigos de Henry, Francis e Ludivine Duflo (Didier Bourdon e Isabelle Candelier, respectivamente) com os quais mantém uma relação comicamente perturbada, e com Fanny Chenal (Marion Cotillard), uma jovem sensual e explosiva dona de um restaurante de comida local, que desperta no empresário um sentimento que vai além de amizade ou atração. Nasce, então, entre eles, uma relação de parceria. Com o tempo, Max é tomado pelas lembranças de sua infância e de como amava seu tio, mesmo que nunca mais o tenha vista desde aqueles tempos.
O filme é baseado no romance de Peter Mayle. A direção é de Ridley Scott, conhecido por filmes de ação como Alien, O Oitavo Passageiro, Blade Runner - O Caçador de Andróides, Gladiador e, mais recentemente, Prometheus. É protagonizado pelos ganhadores do Oscar, Russell Crowe e Marion Cotillard.








Postado por Danilo Craveiro
Discussão 0 Comentários

Comente

Tecnologia do Blogger.